Música

Clássicos do rap que completam 25 anos em 2021 — Parte 3

1996 foi um dos anos mais produtivos da história do rap. Na parte 3 da nossa reportagem sobre Clássicos do rap que completam 25 anos em 2021

Ano de 1996 foi fértil em lançamentos do rap underground

1996 foi um dos anos mais produtivos da história do rap. Na parte 3 da nossa reportagem sobre Clássicos do rap que completam 25 anos em 2021, A Pista destacou mais 5 projetos que foram um marco no seu tempo. Entre os discos selecionados desta vez, a maioria está na categoria do rap underground ou rap alternativo. Confira a lista completa abaixo.

  • The Roots — “Illadelph Halflife”
Capa de “Illadelph Halflife”

Illadelph Halflife” foi o terceiro disco do The Roots. O grupo, que se originou na Filadélfia, foi fundado pelos amigos Black Thought e Questlove. Eles foram um dos mais importantes representantes do hip-hop alternativo.

O projeto conta com as participações de outras referências na cena do rap e do R&B como Common, Q-Tip, D’Angelo, Bahamadia e Raphael Saadiq.

Melhores músicas: “Section”, “What They Do”, “Clones” e “Universe At War” (feat. Common).

  • Busta Rhymes — “The Coming”
Capa de “The Coming”

“The Coming” foi o primeiro disco do Busta Rhymes. O projeto tem participações de artistas que eram seus companheiros da Def Jam, sua gravadora, como Redman, Q-Tip e Keith Murray.

O álbum tem uma sonoridade clássica de boom-bap que casa muito bem com a agressividade e o estilo característico do rapper nascido no Brooklyn.

Melhores músicas: 
“Abandon Ship” (feat. Rampage), “Woo Hah!! Got You All in Check” e “Ill Vibe” (feat. Q-Tip).

  • Heltah Skeltah — “Nocturnal”
Capa de “Nocturnal”

“Nocturnal” foi o álbum de estreia do grupo Heltah Skeltah, natural da região de Brownsville em NY.

A dupla era formada por Rock (Jahmal Bush) e Ruck (Sean Price). A sonoridade dos dois incorpora elementos de hardcore e horrorcore.

Sean Price depois se aventuraria na carreira solo e se tornaria uma das figuras mais representativas do rap underground. Ele faleceu em 2015 aos 43 anos.

Melhores músicas: “Letha Brazin Blo”, “Sean Price”, “Clan’s, Posse’s, Crew’s & Clik’s” e “Leflaur Leflah Eshkoshka”.

  • Ras Kass — “Soul on Ice”
Capa de “Soul On Ice”

“Soul on Ice” foi o primeiro disco do rapper californiano Ras Kass.

O MC chama a atenção pelo seu talento lírico e a inventividade de suas rimas. Na parte instrumental, a influência é clara da costa oeste americana, sua região de origem. As letras, apesar de serem muito ricas em teor histórico, também possuem um elemento único de humor.

Melhores músicas: “Anything Goes”, “Marinatin”, “Nature Of The Threat” e “Miami Life”.

  • Poor Righteous Teachers —“New World Order”

“New World Order” foi o quarto e último projeto do grupo Poor Righteous Teachers. Seus integrantes foram: Wise Intelligent, Culture Freedom, Mike Peart e Father Shaheed.

As letras são carregadas em críticas políticas e sociais que abordam tanto a questão da negritude quanto o status quo branco norte-americano e o gangsta rap.

O disco tem participações de grandes nomes da cena como KRS-One e Nine.

Melhores músicas: “Miss Ghetto”, “Gods, Earths and 85ers” (feat. Nine), “Wicked Everytime” e “Conscious Style” (feat. KRS-One).

Leia também:

Clássicos do rap que completam 25 anos em 2021 — Parte 1

Clássicos do rap que completam 25 anos em 2021 — Parte 2

A importância do sample e do vinil para a cultura hip-hop

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: