Sem categoria

Mostra Internacional de Cinema de São Paulo está chegando com a sua 45ª edição

Um dos principais festivais de cinema do país acontece em formato híbrido esse ano, na cidade, entre os meses de Outubro e Novembro, com premiados em Cannes e possíveis candidatos outsiders na corrida ao Oscar

Depois dos principais festivais de cinema do ano terem passado, vem aí, no dia 21 de Outubro a Mostra Internacional de Cinema, apostando em um formato híbrido para atingir tanto o público fã da tela grande como o público nacional que não pode vim a São Paulo, ou então a parte do público que ainda teme o avanço lento da vacinação no país. O festival procura repetir o sucesso do ano passado, que pela primeira vez devido as restrições da COVID-19, ocorreu em formato totalmente online.

Quem é fã da Mostra sabe de suas apostas no cinema independente, autoral, experimental e mais do que isso, no cinema de países fora do eixo cultural que costuma chegar nos cinemas brasileiros e é assistido pelo grande público.

Assim, essa parece ser uma ótima oportunidade para ver em primeira mão, no Brasil, filmes como o da croata Antoneta Alamat Kusijanovic, que com “Murina” levou em Cannes o prêmio Caméra d’or, concedido a jovens artistas com talento promissor; ou então o supreendentemente alucinatório e fora do comum “A febre de Petrov”, do russo, ativista pelos direitos LGBT na Rússia, Kirill Serebrennikov, que lançou em Cannes seu primeiro filme depois de ser detido em prisão domiciliar pelo governo de Vladimir Putin.

Trailer do filme “Memória”.

Outro filme que devemos ficar de olho, mas que ainda não foi confirmado na Mostra, é “Memória”. Filmado na Colômbia, pelo diretor tailandês Apichatpong Weerasethakul, o filme vem sendo muito elogiado pela crítica, que já o colocam como favorito ao Oscar internacional. Interessante lembrar que Weerasthakul ganhou o prêmio de melhor filme pela crítica na 28ª Mostra com “Febre tropical” (2004), credencial essa, que pode favorecer a curadoria da 45ª Mostra a trazê-lo novamente para o Brasil – sem falar é claro da excelente Tilda Swinton que atua como protagonista no filme.

Entre os filmes já divulgados pela curadoria, a principal aposta parece ser o musical “Annette”, do intrigante e renomado diretor francês Leos Carax. Esse parece ser um dos filmes de Cannes que aparenta ter reais condições de indicações ao Oscar.

O filme venceu, com a colaboração da banda de Rock e Pop “Sparks”, o prêmio de trilha sonora e também rendeu a Leos Carax, o prêmio de melhor direção (o que é surpreendente, levando em conta que o festival contava nomes de peso, como Wes Anderson com seu novo filme, “The French Dispatch”, que inclusive seria fenomenal se também estivesse presente na Mostra, mas até agora não temos nenhum indício disso). No Brasil, depois de estrear na Mostra, Annette vai ficar em cartaz na plataforma de streaming MUBI.

Trailer de “Annett”.

Outros filmes que já estão confirmados na Mostra são: “Noche de Fuego”, coprodução brasileira e mexicana que é marcado por um ambiente de violência e narcotráfico, em que ser mulher aparenta ser mais um risco; e “Bergman Island”, que aparenta ser uma ode de amor ao cinema do diretor sueco Ingmar Bergman, sendo que ambos contam com a produção da empresa do brasileiro Rodrigo Teixeira, a RT Features.

Agora se tivéssemos que apostar em filmes com apelo de público que podem aparecer na Mostra, apostaríamos em “Spencer”, filme de Pablo Larraín, que imagina como seria os últimos dias de Lady Di antes se seu divórcio com o príncipe Charles e “Madres Paralelas”, filme novo de Pedro Almodóvar.

Destaque para o cinema brasileiro

Fora o amor pelo cinema paralelo ao mainstream, a Mostra SP dá especial atenção ao cinema nacional e não poderia ser diferente, afinal é um dos principais eventos de cinema do país. Ao lado de festivais como Gramado e Tiradentes, por exemplo, a Mostra sempre trouxe consagrados diretores brasileiros, como também revelou novos nomes para o público.

A ansiedade é grande para saber os filmes nacionais selecionados, mas até agora não conseguimos obter muitas informações; o suspense e o fator surpresa também costumam ser marcas da organização da Mostra.

Um dos destaques nacionais já confirmados na Mostra é o filme “Ziraldo, Era uma Vez um Menino”, documentário narrado em primeira pessoa que conta a história de vida do multitalentoso Ziraldo, “pai” do “Menino Maluquinho“.

Durante o festival, o autor, que completa 88 anos de vida, será homenageado pela coletânea de sua obra. O filme foi idealizado por sua filha Fabrizia Pinto que já colaborou inclusive com Fernando Meireles, no início da carreira de ambos. Além da filha na direção, o filme conta com a trilha sonora assinada pelo filho de Ziraldo, Antonio Pinto – ou seja, a mostra terá especial “sabor” para esta família.

Ziraldo também foi convidado a emprestar uma ilustração sua do final dos anos 1970 para compor o cartaz de divulgação da nova edição do evento, e o resultado é uma belíssima homenagem ao público mais assíduo, que olha a tela grande do cinema com um olhar apaixonado e sonhador.

Homenagem ao público do cinema, pôster da 45ª edição da mostra internacional de cinema de São Paulo. Menino deitado olhando o céu, as estrelas.
Pôster de divulgação da 45ªMostra de Cinema

Outros nomes do cinema nacional que torcemos muito para estar no festival são os de Anita Rocha da Silveira, com seu novo e aclamado longa “Medusa”; Aly Muritiba, cineasta em ampla ascensão em circuitos internacionais de cinema, inclusive quase já chegando ao Oscar e que agora foi premiado em Veneza com o filme “Deserto Particular”; e do já badalado Karim Aïnouz que está em cartaz em diversos festivais com “Marinheiro das Montanhas”.

O último que torcemos muito para também estar na Mostra, apesar de ser uma produção original Netflix, é “7 Prisioneiros”, filme do talentoso Alexandre Moratto. O diretor, em 2018, ganhou o prêmio “Someone to Watch” no Spirit Awards (Oscar do cinema independente) com “Sócrates”, e agora vem chamando muita atenção da crítica especializada. O cineasta foi bastante aplaudido no festival de Berlim com o seu recém segundo longa, que junto com os dois primeiros, são os favoritos na corrida interna do Brasil em busca de uma vaga na categoria de filme internacional do Oscar.

Estamos ansiosos para essa Mostra, imaginamos que vocês também estão, então comenta com a gente o que vocês esperam esse ano e se caso forem assistir algum filme e quiserem compartilhar conosco suas impressões ou resenha crítica, entrem em contato com a nossa equipe. Será um prazer conhecer mais do público dessa edição.

Trailer do filme “Medusa”.

Siga-nos nas redes sociais (FacebookTwitter e Instagram) fique por dentro das nossas matérias sobre cinema, literatura, música e sociedade!

Leia também:

Almodóvar: 5 filmes para conhecer o diretor

“Ema”: o mais novo filme de Pablo Larraín

O Som do Silêncio” e o cinema sensorial

3 comentários

  1. Annette quero muito assistir!!! E tô torcendo que essa tendência de mostras em formato híbrido se fortaleça, poder acompanhar mesmo de longe é tudo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: