Sem categoria

Almodóvar: 5 filmes para conhecer o diretor

Conheça as características do cinema de Almodóvar e quais foram os principais filmes que marcaram a carreira do diretor

O cineasta e ator espanhol, Pedro Almodóvar, é um dos diretores mais cultuados da Europa atualmente. O diretor teve uma carreira bastante consolidada durante os anos 80 e 90, no entanto, seus filmes atuais não perderam o primor do início e prosseguem sendo reconhecidos e premiados mundo a fora. Na carreira, Almodóvar já levou os principais prêmios do cinema para casa como o Oscar, BAFTA, Cannes, Globo de Ouro e Critics’ Choice Awards.

Em seus filmes o cineasta procura atribuir protagonismo a personagens LGBTQIA+ (antes mesmo de se tornar algo normalizado no cinema), além de oferecer uma perspectiva única da realidade feminina por meio de suas personagens mulheres. Não à toa, o cineasta firmou parceria com diversas atrizes renomadas como Penélope Cruz, Marisa Paredes, Rossy de Palma, entre outras.

Os filmes de Almodóvar, em geral, são bastante únicos esteticamente. A fotografia e os elementos cênicos – juntamente com o constante uso de cores vibrantes e saturadas que se tornaram sua marca registrada – proporcionam ao olhar um certo distanciamento do real. Essas características isentam o espectador da obscuridade da trama e oferecem uma perspectiva mais espontânea e arrojada da obra.

A maneira com que o diretor explora o sexo em seus filmes também é algo significativo, as cenas não são expostas de maneira fetichizada ou gratuita. Almodóvar trabalha o sexo como um elemento cênico que incorpora o roteiro, o gesto é apresentado como algo inerente e inevitável e que reflete a conduta e a moral de seus personagens.

Almodóvar e a atriz Penélope Cruz na 78º edição do Festival de Veneza
Almodóvar e a atriz Penélope Cruz na 78º edição do Festival de Veneza

O novo filme do diretor tem estreia prevista para outubro desse ano na Espanha, porém sem previsão de lançamento para outros países. Madres Paralelas conta com atrizes já conhecidas do público de filmes anteriores, como Penélope Cruz, Rossy de Palma e Julieta Serrano. A obra teve sua exibição recentemente na abertura do Festival de Veneza e foi amplamente aplaudida durante incríveis 9 minutos.

Caso tenha interesse pelo novo longa mas ainda não conhece muito o diretor, confira abaixo os 5 principais filmes para você desbravar a filmografia de Pedro Almodóvar:

Mulheres À Beira de um Ataque de Nervos (1988)

Protagonizado por Carmen Maura e Antonio Banderas, “Mulheres À Beira de um Ataque de Nervos” é um dos filmes mais divertidos do diretor e foi o longa pelo qual muitos passaram a conhecê-lo melhor. Somos levados a acompanhar Pepa Marcos (Carmen) em seu constante estado de desespero ao lidar com a separação de seu amante, Iván (Fernando Guillén). Esse fato afeta a vida de Pepa e de outras mulheres do ciclo de ambos, que curiosamente também estão passando por problemas particulares.

Almodóvar explora de forma brilhante assuntos como sentimento de perda, traição, responsabilidade afetiva, entre outros. Tudo com um humor que se apresenta por meio de despretensiosos diálogos e gestos dos personagens – que estão na iminência de surtarem coletivamente.

Ata-me! (1989)

“Ata-me!” foi um dos primeiros filmes com Antonio Banderas no papel principal. O ator interpreta Ricky, um jovem que acaba de ter alta de um Instituto de Saúde Mental. Com isso, o personagem passa a perseguir Marina Osorio (Victoria Abril), atriz da qual nutre uma certa obsessão doentia. Ricky a mantém em cárcere em seu próprio apartamento enquanto procura seduzi-la e conquistar seu amor a todo custo.

Aos olhos atuais, o filme apresenta algumas situações moralmente problemáticas, mas nada capaz de ofuscar a genialidade da direção de Almodóvar e a excelente dinâmica de atuação entre Banderas e Victoria Abril. O filme ainda conta com a emblemática trilha sonora de Ennio Morricone (Três Homens em Conflito; Os Intocáveis).

Fale com Ela (2002)

Em “Fale com Ela” somos apresentados a dois núcleos de personagens: Marco Zuluaga (Darío Grandinetti) e Benigno Martín (Javier Cámara). A vida dos dois se entrelaçam quando Lydia (Rosario Flores), esposa de Marco e famosa toureira de Madri, entra em coma e é levada ao hospital ao qual Benigno é enfermeiro. Ao visitar a esposa, Marco percebe que Benigno mantém cuidados excessivos a Alicia (Leonor Watling), uma outra jovem que também está em estado de coma. No decorrer da trama notamos que Benigno nutre uma paixão secreta e obsessiva por Alicia.

O filme é bem sucedido em transmitir uma forte carga dramática e melancólica, Almodóvar oferece ao público duas perspectivas distintas de um mesmo sentimento e discute a linha tênue entre amor e fixação. O longa ainda conta com a presença ilustre de Caetano Veloso em uma das cenas, além de bastante menções a MPB. É uma obra que dispõe de um certo lirismo e figura entre as favoritas dos fãs.

Volver (2006)

“Volver” se enquadra entre os grandiosos dramas femininos do diretor, é um filme potente e arrebatador que tem como espinha dorsal discutir a importância da maternidade através de diferentes ângulos e situações. Penélope Cruz interpreta Raimunda, uma jovem mãe trabalhadora, que tem como função cuidar diariamente de sua única tia com a ajuda de sua irmã Sole (Lola Dueñas). No entanto, o destino das duas irmãs muda drasticamente após a morte de Tia Paula, momento em que alguns segredos do passado despontarão e voltarão a assombra-las.

No caso dessa obra, Almodóvar mantém o alívio cômico em segundo plano e assegura a carga dramática como principal fio condutor durante toda a trama. O filme também procura discutir questões como o abuso sexual e a problemática do descompromisso e da infidelidade masculina. Expondo como o impacto desses atos reverberam diretamente na vida das personagens, levando-as a mudarem suas vidas drasticamente.

A Pele Que Hábito (2011)

“A Pele Que Hábito” é um dos filmes mais aclamados do diretor e um dos mais sérios também. Notamos que o longa é seu trabalho mais sóbrio, pelo fato de o diretor trabalhar com cores neutras e pastéis. Além de toda a estética, a atrama é desenvolvida com a intenção de transmitir uma constante sensação de estranhamento e suspense no espectador.

Antonio Banderas é Robert Ledgardum, um renomado cientista e cirurgião plástico que como projeto pessoal tem a intenção de criar uma pele sintética mais resistente que a pele humana. Como cobaia para seu experimento ele mantém secretamente uma jovem, chamada Vera (Elena Anaya), em um quarto especial de sua casa. Porém, a história muda repentinamente quando descobrimos a origem da relação dos dois e as circunstâncias que antecederam os acontecimentos apresentados.

Siga-nos nas redes sociais (FacebookTwitter e Instagram) fique por dentro das nossas matérias sobre cinema, literatura, música e sociedade!

Leia também:

“Ema”: o mais novo filme de Pablo Larraín

O Som do Silêncio” e o cinema sensorial

Shiva Baby e o Mal-Estar Moderno

3 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: